quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Um texto sobre o nada

Geralmente tenho várias idéias do que escrever no meu próximo texto, porém hoje é uma daquelas exceções a regra. Não tenho nada em mente, por isso hoje escreverei sobre o nada, porque quando você se prende a um tema as possibilidades ficam em redor do mesmo, porém quando não se tem nada planejado as possibilidades são infinitas, afinal de contas o que vier é lucro.
São quase meia noite e meu deu uma vontade louca de escrever. Porque não acontece isso quando eu tenho um tema planejado na minha cabeça? Na maioria das vezes tenho preguiça de escrever quando surge algo na cabeça e fico adiando o momento, porque sou daquelas pessoas que quanto mais adiar uma coisa melhor pra mim, na verdade adiar as obrigações. Minha mãe é bem diferente. Ela conta que quando a mãe dela dizia que iria bater nela por causa de alguma coisa errada que ela tinha feito mamãe simplesmente ficava atrás de vovó falando pra ela bater logo e já ficar livre. Já no meu caso, se estivesse na mesma situação, com certeza agiria totalmente ao contrário e adiaria a surra para o mais tarde possível. Eu lembro um dia que fiz algo errado, por pura preguiça e depois tive o maior trabalho pra esconder minha cagada. Já dizia o ditado que trabalho de preguiçoso faz serviço dobrado, pois dessa vez foi triplicado! Minha mãe me telefonou e eu estava deitadona no sofá sem a mínima vontade de levantar e só atendi o telefone porque ele estava ao meu lado. Mamãe estava no transito e precisava urgente de um número que estava na lista telefônica. Levantei com a maior má vontade que se pode esperar de um ser humano e lá fui eu achar a bendita da lista. Procurei o número igual o meu nariz e é claro que não achei. Querida mamãe bufou ao telefone e desligou, mas eu sabia que quando ela chegasse em casa iria procurar na lista e esfregar o número de telefone na minha cara. Lá vou eu me livrar das evidências do crime. Desta vez procurei o número minuciosamente e adivinha o que aconteceu? Não é que eu achei o danado! Pensei com os meus botões “caraca mami vai comer meu fígado e mal passado ainda por cima!”. Foi aí que eu tive a nem tão brilhante idéia de queimar a lista telefônica. Peguei uma caixa de fósforos, a lista, fui para o Box do meu banheiro e comecei a queimá-la. Fiquei esperando sentada pateticamente no vaso enquanto a fogo fazia seu serviço, porém começou a soltar aquelas fuligens pretas e aquele negócio infestou o banheiro de uma forma que parecia um tufão negro. Nisso a minha toalha branca já tinha ficado preta, meu sabonete com cheirinho de neném já tinha ficado com cheiro de queimado e foi então que comecei a me desesperar. Liguei o chuveiro e não sei como a situação piorou, porque o ralo do banheiro entupiu com as fuligens e começou a inundar o banheiro todo! Nisso eu já estava parecendo um pintinho preto todo molhado. Desliguei o chuveiro, peguei o que restava na lista telefônica e fiz o que deveria ter feito muito antes: enfiei num saco preto de lixo e joguei fora. Digam-me agora porque diachos eu não pensei nisso antes? Teria me poupado muito tempo e energia. Porém quando reflito sobre esse episódio anos depois chego à conclusão que poderia ter procurado o número direito em vez de fazer toda essa confusão!

5 comentários:

sweetelegance disse...

Oiee! Tá, me diz uma coisa, por acaso vc tava no woodbury outlet na quarta, com a sua mãe? Eu tô muito encasquetada desde aquele dia, pois acho que te vi e até nos falamos, na fila da Calvin Klein! Será? Beijooo!

sweetelegance disse...

Lizzie! Tenho certeza que era vc! Eu tava na fila da CK com a minha mãe, com um punhado de calças na mão e carregando uma mala! haha Aí tinha duas moças na nossa frente e talvez vc tenha perguntado de onde éramos, eu respondi "de Florianópolis e vcs?" e vc respondeu ou a outra moça respondeu "do Paraná" (e na hora eu desconfiei que era vc, pois lembrava da fotinho, mas achei que seria coisa do outro mundo e fiquei com vergonha de perguntar)! Tô certa? Aiiiiii, gente, não é possível, que mundo minúsculoooo!!! Beijooo, vou te add no orkut agora!

sweetelegance disse...

Oiiii! Ai, não acredito que vais de novo pra lá! Tô louca pra ir também! Meu visto vence em maio, eu queria ir antes, mas é frio demais, né?! Acho que a época que a gente foi é a melhor! Ahhh, nunca vi esse seriado que a Lindsay Price trabalha, legal é? Beijooooo

Maíra Gabriela disse...

Hahahaha... ai lizy. Não tinha lido esse seu post. Dei muita risada. Muito inteligente vc, viu hahaha qntos anos vc tinha??

Lizy disse...

devia ter uns 15 ou 16 anos...não era mto novinha não
uahsauhsauhsuahsuahshaushuash